Arquivo de ‘Ciclo dos dias’ Category

20
jun

Ciclo dos dias – Domingo

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 20 de junho de 2010, Tags: , , , ,

Olhe o calendário e confira. Domingo começa com uma fraude. Os burocráticos fabricantes de calendários, arraigados à tradição medieval, insistem em colocar o domingo como primeiro dia da semana. Uma grande mentira, óbvio. Qualquer pessoa em sã consciência sabe que domingo encerra o ciclo dos dias.

Mas a farsa ardilosamente plantada nos calendários espalha-se em nosso subconsciente. Por mais que se tente fazer do domingo um momento de descanso e gozo da vida, o dia guarda um suave amargor implicito a cada minuto. Você se envolve em atividades gratificantes, mas, no seu ouvido, bem baixinho, surge a mensagem que a “amanhã é segunda feira”, sussurrada pela horrenda programação das TVs, que estranhamente se ligam sozinhas no domingo.

Inevitável, portanto, que o dia passe como uma grande fraude. Aliás, a simulação se agrava pela convivência familiar, quase sempre forçada no domingo. Todos exibem sua melhor cara, sorrindo em volta de uma macarronada bem sortida. Mas, sob o molho de tomate, o sabor azedo das relações familiares aparece exponenciado pela ambivalência da situação.

Mas não sejamos injustos. Muitas coisas importantes e maravilhosas acontecem no Domingo. Todavia, em que pesem nossas tentativas, o dia acaba permeado por uma melancolia. Assim, uma providência emergencial para reduzir o mau-humor típico do dia, que poderia elevar os espíritos mais que uma centena de livros de autoajuda, seria a mudança da música do Fantástico.

12
jun

Ciclo dos dias – Sábado

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 12 de junho de 2010, Tags: , , , ,

Os astrônomos, aboletados em seus cálculos gigantescos sobre a órbita dos corpos celestes, pretendem ter respostas para todos os fenômenos científicos. Todavia, ainda não me apresentaram uma explicação decente sobre o mais simples de meus problemas. Por que o tempo passa mais rápido aos sábados?

Não me venham com respostas técnicas sobre diferentes percepções psicológicas do tempo. A única explicação cabível para o descompaso entre o arrasto da segunda-feira e a a fluidez do sábado é alguma alteração no movimento giratório da Terra, até agora não divulgada por nossos pretensiosos cientistas. Com certeza o fenômeno já foi percebido pela alta casta de astrônomos, que certamente não quis dar notícia, a fim de não desanimar a humanidade inteira, que esperava ansiosa pelo final de semana chegar.

Pois, não há coisa mais injusta. Por cinco dias, enquanto todos estão agarrados em seu sem número de atividades, a duração dos dias parece engordar incrivelmente. Alarga-se aqui e ali o  tempo, para encaixar todas as tarefas. Mas basta, chegar o momento de descanso, quando vamos colocar a vida em dia e o tempo escorrega entre nossos dedos, consumido, principalmente, por compromissos que não deveriam estar lá. Pois, muito do que se faz no sábado, são atividades que, ardilosamente, escaparam dos dias úteis. No sábado, finalmente, vamos conseguir mandar o carro para lavar, ir ao shopping comprar o presente de casamento daquela pessoa que você não conhece e ler alguns textos para a aula de segunda-feira.

Sábado mostra, assim, a grande bobagem que é viver para aguardar um dia quando poderemos aproveitar o tempo. Ou aproveita-se agora, no melhor estilo carpe diem, ou o que se consegue é, no máximo, acumular ansiedade para um dia que será curto demais, frio, chuvoso e, provavelmente, com uma visita desagradável ao supermercado.

4
jun

Ciclo dos dias – Feriado

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 4 de junho de 2010, Tags: , , , ,

O ciclo dos dias parece completo. Durante a semana, há uma lógica precisa, que determina como o tempo deve ser vivido. Mas, eis que, em meio à rotina, surge um tropeção. Um breve intervalo inexplicável. Aí está o feriado.

Cada dia possui um significado e uma função para a existência cotidiana. Segunda para reclamar, sexta para comemorar. Um feriado tira tudo do lugar, ou melhor, do tempo. A quarta-feira pode ganhar cara de sexta. A quinta se convence ser um sábado e obriga todo mundo a buscar abrigo na cama até mais tarde. Os mais robóticos ligam a TV para assistir seu programa preferido e surpreendem-se com os desenhos animados, que, vergonhosamente, não perceberam o rearranjo do tempo.

Tanto pior quando há um dia sufocado entre o feriado e o final de semana. De repente, surge um dia que não sabe ser. Vive-se a ambigüidade do tempo que não é. A sexta-feira não é mais sexta, pois não encerra a semana. A rigor, a semana já terminou uma vez. Na dúvida, tem-se um não dia.

Muitos reclamam do hábito brasileiro de preencher o ano com feriados. Provavelmente os mesmos que, teimosos, forma filas tediosas nas estradas a cada pequena oportunidade de escapar da rotina urbana. Alegam que feriado demais é ruim para o país e para a economia. Mas, será que a lógica desenvolvimentista do país-do-futuro deve falar mais alto sempre? Melhor aproveitar os feriados para por os pensamentos em dia e passear pelas cidades vazias, mas cheias de urbanidade.

28
mai

Ciclo dos dias – Sexta-Feira

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 28 de maio de 2010, Tags: , , , ,

Ah! Enfim, é sexta-feira… Depois de uma semana exaustiva, um dia com uma atmosfera melhor. O final de semana está ali, já no horizonte. São os últimos passos da longa caminhada que leva ao descanso e aos momentos nos quais se “aproveita a vida”.

Mas, espere um momento! Antes será necessário terminar o dia.

E, então, é a mesma rotina. Arrumar-se rápido, mal tomar café, sair para o trabalho. Vai de ônibus, trem ou metrô? Sexta-feira está mais cheio. De carro? Tem mais trânsito, mais buzina e mais confusão. De onde sai tanta gente? Como um dia de calor, com todos os bichos fora da toca. Ao fim, chega-se ao trabalho. E isso ainda é só o começo.

Mesmo assim, parece que todo mundo acordou de bom humor. Na sexta a regra é evitar os problemas maiores. Que esperem até segunda. Não devem ser marcadas reuniões importantes, assuntos melindrosos devem ser evitados, pautas complexas estão absolutamente proíbidas e as grandes decisões simplismente não podem ser tomadas em uma sexta-feira. É dia de esperar passar. No máximo, cumprir o que já estava programado.

Então, se rotina da sexta-feira é igual à dos outros dias, talvez um pouquinho pior, por que todo mundo está mais feliz, leve e sereno? É a prova de que no embate psíquico entre razão e espírito, é o último quem governa o ser humano. Basta a expectativa de dois dias de descanso para os humores se elevarem. Não foi a rotina que mudou. A perspectiva se elevou. Claro, é uma tolice nossa isso de insistir em ver as coisas melhores por qualquer bobagem. Mas, podemos ser tolos. Pelo menos um dia na semana.

20
mai

Ciclo dos dias – Quinta-feira

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 20 de maio de 2010, Tags: , , , ,

Se os advérbios que definem a quarta-feira são o ou o ainda, para a quinta só resta um advérbio, o quase. A semana está quase no fim, o dia é quase bom e quase dá para esperar algo mais proveitoso. Seria ótimo, se quase servisse para alguma coisa, que não fosse aumentar a frustração.

Os mais atentos já devem ter percebido que alguns dias são familiares próximos de outros. Quinta-feira, por exemplo, é a irmã mais nova da terça. Mas não se engane. O ar de jovialidade da quinta não é suficiente para manter seu disfarce. A bem da verdade, quinta começa como um dia bem cansativo. A semana já se acumulou em suas costas e ainda não está em seu fim. Da mesma maneira que sua irmã mais velha, quinta traz em si toda a carga de cotidiano. Outra vez, é dia do curso de inglês, das reuniões protocolares e da fila no banco.

Mas há algo na quinta que lhe torna uma quase terça e não uma terça completa. Por baixo da mesmice dos dias úteis, o final de semana já começa a jogar sutis fios de esperança. Talvez você seja do tipo que passa na locadora e aproveita a promoção leve 10 pague 5. Pode ser também que se divirta em um happy-hour antecipado ou em uma saída na noite que, reza a lenda, é a melhor da semana.

Independente de suas opções, na noite de uma quinta-feira restará sempre um consolo, falta pouco para o fim da semana. Pode ser uma falsa esperança. Mas é melhor que esperança nenhuma.

12
mai

Ciclo dos dias – Quarta-feira

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 12 de maio de 2010, Tags: , , , ,

Todos devem conhecer a história sobre o copo com água pela metade, que pode ser visto como meio cheio ou meio vazio, conforme a percepção otimista ou negativa do observador. Aliás, conforme o conteúdo do copo também

Pois bem. Posicionada exatamente no meio da semana útil, a quarta-feira é um copo meio cheio. Muito pode ser dito sobre a pessoa, conforme é sua abordagem do dia. Há aqueles para quem é quarta-feira. No entanto, a grande maioria pensa que ainda é quarta-feira e a semana vai demorar muito para acabar.

Por isso mesmo, quarta-feira é um dia bem sincero. Você pode encontrar o sujeito mal humorado em uma segunda ou bem humorado na sexta. Conheça-o na quarta feira para saber seu verdadeiro caráter. O realismo do comportamento humano nas quartas é o que você terá das pessoas depois de um período longo de convivência. Casamentos longos tendem a se tornar grandes quartas-feiras. Para o bem ou para o mal.

Não é à toa, portanto, que o carnaval desemboque em uma quarta-feira. No fim de toda fantasia, só é possível encarar o mundo com o realismo da quarta.

Talvez esteja aí um dos segredos da existência harmoniosa. Ser completamente feliz ou triste é inviável para qualquer humano. As circunstâncias sempre nos arrastam para eventuais dias bons ou ruins. Assim, o máximo que podemos almejar na vida é sermos felizes como somos em uma quarta-feira.

4
mai

Ciclo dos dias – Terça-feira

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 4 de maio de 2010, Tags: , , , ,

Sabe o que a descoberta do Brasil, o primeiro passo do homem na lua,  as mortes de Hitler, Joao Paulo II, John Kennedy ou John Lennon tem em comum? Nada disso aconteceu em uma terça-feira.

De fato, de todos os dias da semana, terça é o mais sem personalidade. Imagino que, todo fato histórico importante, na eminência de acontecer, verifica se o dia seguinte é terça-feira. Daí toma uma escolha entre duas opções. Ou acontece logo, na segunda, ou fica aguardando a terça-feira passar para desabrochar na quarta-feira.

A verdade é que, na terça, a humanidade está ocupada com seus afazeres cotidianos, sem qualquer luz no horizonte. Todos caminhando no piloto automático. É dia de cuidar do varejo da vida. O curso de inglês, a aula de natação, fazer as compras de pão e leite. Nunca as compras do mês. Talvez sobre tempo para a novela. Se não sobrar, o capítulo exibido será totalmente irrelevante e não fará falta.

Você provavelmente se lembra de vários domingos especiais, inúmeras noites de sábado lendárias e até desagradáveis segundas. Mas, faça um esforço e tente lembrar de alguma coisa importante que aconteceu na sua vida em uma terça-feira. Talvez venha uma ou outra data importante. Não veio nada? Tente lembrar da última terça-feira! Provavelmente, nada. Enfim, coisas memoráveis não acontecem na terça.

Terça-feira é um dia idiota. E quem falou não fui eu, foi John Lennon, em I am the Walrus. Por ironia, ou não, o cantor morreu em uma segunda-feira, no final da noite. Havia uma ansiedade para não aguardar o início da terça.

 

* Uma coisa muito importante aconteceu na vida do autor desse post, em uma terça-feira, o que o torna um fingido. Mas isso é assunto sigiloso, que só conto para meus leitores imaginários

26
abr

Ciclo dos dias – Segunda Feira

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 26 de abril de 2010, Tags: , , , ,

Todo mundo tem, em eu círculo de relacionamento, aquele sujeito chato, com que é obrigado a conviver por obrigação. Segunda-feira é assim, aquele dia antipático, de olheiras e mau-hálito, que você precisa encarar, pelo menos uma vez por semana, para continuar vivendo bem os outros dias.

Para a maioria, segunda-feira é tão chato que azeda até o dia anterior. Domingo à noite, tocam os acordes daquela fatídica música do Fantástico e o sujeito já se coloca deprimido, com a mão na cara a enrugar o semblante. Daí para frente qualquer coisa que se faça é baboseira à espera do dia seguinte.

Você pode falar que nem todo mundo precisa assistir o Fantástico. Verdade. Mas ninguém escapa da segunda-feira, por mais criativo que seja.

Particularmente, eu desconfio de quem fica de bom humor em plena segunda-feira. Principalmente de manhã cedo. O mundo acordando arrastado e o sujeito com o sorriso no lábio, todo feliz que acabou o final de semana? Mentira, deve ser algum psicopata, com um plano assassino em mente. Na melhor das hipóteses um lunático do bem, que ainda não caiu na real. Dê uns tapas nele. Grite: “Acorda! É segunda-feira!”. Se nem assim reagir, é caso de internação.

Outra hipótese que tenho para os “felizes na segunda” é esnobismo do sujeito. Ele quer fazer você se sentir mal. Abre aquele sorriso Colgate, só para mostrar o quanto sua vida é chata, sua semana é chata, seu universo é chato e tudo dele é legal. Mas por dentro, tenho certeza que sujeito está se roendo, para sustentar tanta aparência de felicidade.

Em verdade, a maneira como a pessoa encara a segunda-feira diz muito sobre ele mesmo. Quanto mais chato parece ser o início da semana, mais interessante é o final de semana. A imprestabilidade da segunda é, no fim, a demonstração que empolgação sete dias por semana é impossível. Precisamos de uns dias para reclamar da vida. Assim, adorar segunda-feira seria considerar todos os dias iguais. Todos chatos.