Arquivo de ‘Beatles’ Category

28
nov

Eu vi Paul McCartney

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 28 de novembro de 2010, Tags: , ,

Eu poderia, certamente, contar como foi o show de Paul McCartney no Morumbi.

Sei que muitos gostariam de saber como foi a expectativa de três horas na fila, quando pude celebrar com vários recém adquiridos amigos a felicidade de perceber, pela multiplicidade etária do público, que a Beatlemania viverá ainda por longo tempo. Vocês, leitores imaginários, ficariam ainda impressionados com o desânimo que se abateu sobre os ansiosos fãs, quando, sob um chuva gelada, recebemos a notícia do possível e provável cancelamento do concerto. Desânimo este que quase trouxe lágrimas aos olhos de um fã de Fortaleza, cuja longa viagem de volta já estava agendada para o dia seguinte.

Mas creio que o interesse maior de vocês seja conhecer a sensação de ver Sir James Paul McCartney de perto, após anos de espera, e o arrepio que percorre a espinha quando imaginamos a quantidade de história musical que está personalisada em sua frente. Talvez fosse importante contar sobre incredulidade que trás a percepção sobre como o eterno Beatle é simpático e carismático. Incredulidade esta que te leva a duvidar, por vezes, se está mesmo diante do idolo ou está participante de alguma espécie de alucinação coletiva. Poderia ainda falar sobre a hipnose que atingiu a platéia em cada uma das quase quarenta músicas do show. Por fim, ainda narraria sobre a quase tristeza que assombra quando, ao fim do show, você escuta os acordes de “The End” e vê, mais uma vez, os Beatles acabarem.

Enfim, eu poderia contar para vocês como foi o show de Paul McCartney.

Mas não vou.

Vamos as fotos.

 

Olha eu aí! Com meus ingressos baratinhos.Galerinha na fila, tomando chuva!Magical Mystery TourMagical Mystery TourFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartneyFotos do show de Paul McCartney

Se você gostou da fotos ou, talvez até, esteve no show, deixe seu comentário!

10
abr

And in the end…

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 10 de abril de 2010, Tags: ,

Há 40 anos, Paul McCartney anunciava o lançamento de seu primeiro disco solo e noticiava a separação dos Beatles.

Em setembro do ano passado, a Amazon, gigante das vendas on-line de CD, anunciou que dos seus 25 mais vendidos, 11 eram dos Beatles. Mais do que efeito evidente do sucesso das versões remasterizadas dos álbuns da banda, os números demonstram que o quarteto alcançou uma nova geração de fãs.

Parece inegável que a banda viverá por mais muito tempo. Mas para muitos de nós, que como eu, sequer chegaram a ver os Beatles em atividade, só resta a saudade do que não viveram.

17
nov

Across de Universe

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 17 de novembro de 2009, Tags: , ,

Alguma anotações, impestivas, sobre “Across the Universe”, filme que
assisti apenas no último final de semana (shame on me).

- Os personagens sempre têm nomes de músicas dos Beatles. Assim,
muitas vezes, você já adivinha o destino de casa personagem pelo seu
nome. Sadie irá trair alguém, Prudence se esconderá, em algum momento,
em um quarto e Dr. Robert é um traficante de drogas. Jo-jo quebra a
regra, porque não vai para lugar nenhum e, por óbvio, não precisa voltar.
Ainda assim, o roteiro insiste colocar em sua boca as frase “It´s good
to be back”.

- O filme está cheio de easter-eggs sobre os Beatles. Maxwell usa um
martelo em uma cena e é citado como alguém que pode ser tornar um
assassino. Jude desenha o logo da Apple. Todavia, em alguns momentos o
filme duvida da inteligência dos espectadores. Quando Prudence entra
em casa pela janela do banheiro a referência fica clara. Mesmo assim,
alguém tem que falar “she came into the bathroom window”.

- Os melhores momentos dos filmes acontecem quando as interpretações
das músicas escapam do óbvio. Vide o caso de “I want you” ou
“Strawberry fields forever”. Ainda, a versão de “I wanna hold your
hand”, ganha uma conotação especial quanto cantada por uma mulher.
Lembre-se do verso, “let me be your man”.

- Que apuros devem ter passados os tradutores, especialmente porque
queriam dar sentido frases que, por si só, não fazem sentido.
“Eggman” virou “intelectual”! O que é isso? Homem-ovo, ainda que
inexplicável, seria melhor. Por outro lado, a tradJustificarução para o verso
“Lying with his eyes while his hands are busy working overtime”
deixou-me curioso. As legendas trouxeram “Deitado com os olhos (…)”.
Eu sempre pensei que a tradução é “Mentindo com os olhos”. Mas, vai
saber.

As anotações acima são genéricas e pensadas, brevemente, por um fã dos
Beatles. Não refletem qualquer juízo sobre o filme e não têm, digamos,
o rigor para ser incluído na Beatlelogia.

27
set

Nasce um novo blog

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 27 de setembro de 2009,

Não é de hoje que todos sabem do enorme sucesso de publico e crítica do Estado Crônico. A grande legião de leitores imaginários que freqüentam este blog, todavia, sempre tiveram uma queixa. O excesso de posts sobre os Beatles.

Pois então, depois de algum tempo de trabalho, o Estado Crônico deu filhote. Nasceu o Beatlelogia, um blog exclusivamente dedicado à maior banda de todos os tempos. A idéia não é nova. Não sei ainda onde vai dar a aventura.

Com isso, o Estado Crônico toma uma nova feição e passa a ter mais cara de blog pessoal. Mas podem ficar tranqüilos, que por falta de assunto isso aqui não acaba!

16
set

Colocando os ouvidos em Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band – Remastered

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 16 de setembro de 2009,

Aos 4’49’’ de A Day In The Life, durante longo acorde de dó maior produzido por quatro pianos, que em uníssono anunciam o fim de Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, alguém faz um barulho em sua cadeira. Os sensíveis microfones do estúdio 2 de Abbey Road captaram impiedosamente o som estranho, um barulho como de molas rangendo. Há quem diga que, após o barulho do assento, alguém chia, pedindo silêncio. Eu não sei.

A permanência de tal chiado, após a remasterização dos discos dos Beatles, era uma das preocupações que eu tinha, quando iniciei a audição de Sgt. Peppers Remastered, sexta-feira, 11/09/2009.

Mas, licença ao leitor imaginário, vamos tirar os fones de ouvido e retornar algumas horas no tempo. Voltemos para à loja onde comprei o disco. Na Livraria Cultura, onde fiz a compra, em volta do mini-altar produzido para os Fab, um certo burburinho curioso se formava. Não fazia nem algumas horas que os discos estavam disponíveis para venda naquela loja e, creio, no Brasil. Em volta dos álbuns alguns curiosos se reuniam. Cabeças brancas ombreando com adolescentes. Sim, os Beatles conseguem isso. Eu, ansioso, já estava na loja pela segunda vez. Afinal, passados dois dias do lançamento, eu ainda não tinha colocado meus ouvidinhos em nem uma das faixas remasterizadas.

Mais tarde, abri o álbum. Na sessão de inveja nos amigos do trabalho, tirei digipack do plástico protetor, com uma tesoura. A cola que, imagino eu deveria soltar fácil, não deixava o envelope abrir. Por dentro, um novo encarte, com textos novos, mas ainda apenas em inglês, uma grande bobagem para um CD fabricado no Brasil. Algumas fotos novas, beleza. O disco, em si, agora é preto, como a etiqueta do álbum. Até aí tudo bem. Pouca novidade, mas nada fora da expectativa. Hora de pegar os fones de ouvido.

Não sou um grande perito em som e estou longe de ser um audiófilo, que sabe avaliar a qualidade de cada um dos timbres das músicas. Quem vos fala é um fã, que há tempos escuta Beatles e, por certo, conhece Sgt. Pepper de cor e salteado. Ainda assim, reencontrar as músicas com a qualidade de som remasterizada foi uma experiência fantástica. As vozes, tão próximas, chegam a assustar. Os instrumentos, em sua grande maioria, podem ser perfeitamente distinguíveis.

Sei que existe uma série de chatos de plantão dizendo que a qualidade do áudio não melhorou uma vírgula. Existem, sim, dificuldades com algumas faixas, de instrumentos que foram condensados em um canal, como em Lovely Rita. Nada que comprometa o resultado final. Mais ainda, as faixas não mantiveram a mixagem original, em respeito a tradição, mas decepcionando os fãs que esperavam uma experiência inédita ouvindo as músicas. Também frustrados aqueles que achavam que iam escutar milhões de novos sons, abafados por chiados da versão antiga. Você acha, realmente, que após quatro décadas ouvindo as mesmas músicas, ainda há algo novo ali para descobrir? Na verdade, trata-se de redescrobrir, por trás das camadas overdubling, as nuances de cada som.

Mas aos chatos, deixo a resposta de alguém que não é fã, minha esposa. Por anos ela escutou, aqui e ali, alguma música dos Beatles, mais por respeito a minha vontade de ouvir determinada canção, do que, propriamente, por seu interesse. No entanto, em minha segunda audição do álbum remasterizado, ela se juntou a mim na sala e, pela primeira vez, em mais de uma década, fez um comentário positivo à banda. Um simples, “agora consigo ouvir eles cantando”. Sinceramente, acho que quando os remanescentes dos Beatles resolveram relanças sua obra, seu objetivo não eram os velhos fãs, caquéticos de tanto ouvir as mesmas músicas, mas um publico novo, que, talvez, estivesse distante da obra por considerá-la velha e datada demais.

Aos 4’49’’ de A Day In The Life, durante longo acorde de dó maior produzido por quatro pianos, que em uníssono anunciam o fim de Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, alguém faz um barulho em sua cadeira. Mais de quarenta anos depois, após uma pesada remasterização, o mesmo barulho ainda está lá, alguém continua reclamando com o atrapalhado. Vida longa aos Beatles que, pelo menos na qualidade de som, chegaram ao século XXI, Falta, eu sei, a liberação do conteúdo por meio digital, mas isso, certamente, é assunto para outro post.

11
set

Beatles Remasterizados – Como comprar?

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 11 de setembro de 2009,

Visite beatlelogia.blogspot.com, blog especializado em Beatles.

Como todo mundo já deve saber, quarta-feira toda a discografia dos Beatles foi relançada, em versões remasterizadas. Aliás, eu mesmo já tinha explicado a questão, em um muito elucidativo texto, extremamente apreciado pelos meus leitores imaginários.

Já comprei Sgt. Peppers e coloquei meus ouvidinhos nele. Posso garantir a vocês queas novas versões realmente cumprem o que prometem. Todavia, vou guardar uma descrição da experiência de ouvir o disco para outro post.

Por ora, a questão imediata é, como comprar os novos discos aqui em nossa pátria. Usando por base a Livraria Cultura, cada um dos discos simples, em versão nacional, está saindo por R$ 36,90. Os duplos, por 54,90. Ao todo, são 12 discos simples e 2 duplos. Preço total da brincadeira, R$ 552,60!

Ou seja, custa caro ser brasileiro.

Agora, vamos comparar. Se você é realmente fã, deve cogitar comprar todos os discos novamente. No site da Amazon, hoje a caixa dos discos estéreo sai por U$ 179,99. Sejamos práticos e arredondemos o valor para 180 doletas. No câmbio de hoje, a compra, sem frete, fica por R$ 347,40. Ou seja, você compra a mesma coisa, por R$ 200,00 a menos! De quebra, leva a caixa, super, mega, boga poderosa, com o DVD exclusivo que reúne todos os mini-documentários. Nos CDs avulsos, os documentários devem ser assistidos na telinha do computador.

Ou seja, é muito mais, por muito menos. Mas, tem o problema da Receita Federal. Quase certo que a compra da Amazon será tributada, com uma alíquota de 60%. Assim, o valor passa para R$ 555,84. Veja que, ainda assim, o resultado é quase idêntico. Por mais R$ 3,00 você consegue comprar a caixa poderosa.

Portanto, algo me diz que terei o Sgt. Peppers sobrando em breve. Nada de grave, para quem já tem outros quatro em casa.

P.S.: A matemática dos tributos acima não vale para os estados malucos que cobram imposto de importação e ICMS nas compras do exterior. Aí a coisa complica. Não sei quais são eles, mas Minas Gerais eu tenho certeza que cobra, por experiência(S) própria.

4
ago

Paul McCartney no Brasil? II – Mero boato

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 4 de agosto de 2009,

Como é notótio, o Estado Crônico é muito influente no blogosfera brasileira. Assim, mal o nosso blog anunciou o show do Paul McCartney, a notícia ganhou os maiores portais brasileiros de notícias, como o Terra.

Infelizmente, aparentemente, tudo não passou de um boato, cuja fonte o Estado Crônico, em um furo jornalístico, vai revelar agora.

Sexta-feira recebi um e-mail do tal Songkick, explicando que os shows do Paul McCartney não eram confirmados e teriam sido incluídos por um usuário. Isso mesmo, eu não sabia, nem o pessoal da impressa, mas o Songkick é meio uma Wikipedia de shows. Você vai, se cadastras e pode incluir os futuros concertos. Segundo a mesma mensagem, o usuário que cadastrou os shows do Paul apontou como referência da notícia o site da Revista Veja.

Enquanto isso, chovem notícias que a turnê do Macca do ano que vem será a última.

Espero, sinceramente, que o Brasil estaja incluído. Mas, por enquanto, só temos boatos.

27
jul

Paul McCartney no Brasil?

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 27 de julho de 2009,

Tomei um enorme susto hoje. Estava lendo o Bombou na Web, quando esbarrei nessa notícia aqui. Paul McCartney virá ao Brasil!

Será verdade? Não sei, mas se for essa é a melhor notícia dos últimos 15 anos (só o Anthology passa isso, se passar).

Segundo o Blog, o site Song Kick apontou a data de três shows do beatle no Brasil. Rio, São Paulo e Brasília, todos em abril. O show de Brasília seria de graça, na Esplanada dos Ministérios. Clicando no link acima, você vai direto para a página que anuncia o show.

Uma coisa chama a atenção. O concerto de Brasília seria 21 de abril, feriado nacional. Acho que, ao menos, isso é um indício de verdade, tendo em vista que o site é inglês e não marcaria, por acaso, a data do show para o feriado.

Já me cadastrei no site e aguardo um e-mail sobre confirmação de datas.

18
jul

Beatles no século XXI

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 18 de julho de 2009,


Visite beatlelogia.blogspot.com, blog especializado em Beatles.

Como eu já falei aqui, setembro vai ser um mês especial para os fãs dos Beatles. Não apenas pelo lançamento do Beatles Rock Band, mas porque, no mesmíssimo dia (aí minha carteira) seram relançados todos os álbuns dos Beatles remasterizados.

Acho que utilizar o termo remasterizados é uma redução. Masterizar algo é criar uma cópia master que, mais tarde, dará origem às demais cópias. Vocês se lembram da marcação AAD, ADD e DDD dos CDs? A masterização é o último dos Ds e significa que o disco foi masterizado digitalmente. Um disco antigo pode, no máximo ser ADD, ou seja, captado em forma analógica (1º A), mixado e masterizado em forma digital (2º e 3º Ds). Para entender melhor a história dos Ds dos CDs, a Wikipedia explica direitinho aqui.

Pela notícia que li no site oficial dos Beatles, os discos serão remixados. Ou seja, a partir das fitas originais, será refeita uma gravação de estéreo, que poderemos ouvir em nossos milhões de fones de ouvido.

A única vez que isso foi feito em algum álbum dos Beatles foi no relançamento de Yellow Submarine. Todos os demais discos são (apenas) remasterizados.

Pode parecer a última maravilha, mas, fico um pouco preocupado. Os álbuns dos Beatles são como escrituras sagradas. Qualquer pequena alteração na mixagem é imediatamente percebida e pode ser mal interpretada. De toda forma, aguardemos a chegada de setembro para ouvir o resultado. Pelo que vi, os discos virão com documentários e alguns extras. Nem precisa dizer que estou ansioso.

Parece que, finalmente, os Beatles chegaram ao século XXI. Agora, só falta o lançamento das músicas em formato digital, para ter certeza da longa vida do quarteto.

2
jun

Beatles Rock Band

   Postado por Carlos Goettenauer na data de 2 de junho de 2009,

Caramba!

Nem acabei de ver o vídeo do WiiFit Plus e minha cabeça explodiu denovo.

Já sabia do Beatles Rock Band, mas depois de ver esse vídeo, não consigo mais aguentar minha ansiedade. Pela primeira vez em minha vida acho que vou entrar em uma pré-venda.

Estou arrepiado só de ouvir I´m The Walrus!

Detalhe, nunca nem coloquei a mão em algum jogo do estilo Rock Band/Guitar Hero. Acho que, até ontem eu, inclusive, considerava a brincadeira muito chata.