28
nov

Seu bebê é feio

   Postado por: Carlos Goettenauer na data de 28 de novembro de 2013, em Crônicas

Toda a graça e beleza do bebê renascentistaA cena é conhecida. Talvez até testemunhada pelo leitor imaginário mais experiente. A mamãe vestida em uma camisola cujas estampas só não perdem em bom senso para a cortina de casa de tia. A cara de quem não dorme há dezoito noites. E isso é só o ensaio. O pai, ainda invicto na batalha que se inicia, carrega orgulhoso um pacote pelo quarto. Volta e meia, desfaz o embrulho e revela à comitiva de visitantes o novo raminho que acaba de nascer na árvore familiar.

Então, dá-se o momento mágico. Cinco tios, nove primos, a tia-avó que mora em Cataguases, aquele colega da firma, que não queria vir, mas sabe que para essas horas tem que “dar uma atenção”, todo o séquito de visitantes, ao contemplar aquele rostinho fofinho, recém inaugurado, exclama em uníssono.

“Meu deus! Que coisa mais linda!”

Ah… Como é falsa a humanidade. Mas, é dever de ofício deste cronista, sincero que só beata se confessando em leito de morte, colocar a verdade no berço. Não, minha cara leitora imaginária. Ele não é bonito. Sinto muito decepcionar, sei que a noite não foi fácil e os próximos dias puro padecimento no paraíso. Mas não dá para iniciar essa jornada tão bonita em uma ilusão estética.

Seu bebê é feio.

Sei que ele é fofo, cutch-cutch e uma gracinha. O mais bochechudo das galáxias. Mas bonito é que ele não é. Bonito é outra coisa. E,  para que não fiquem as mamães e papais decepcionados, aviso logo. Ser feio não é exclusividade do seu bebê. Veja, mesmo os pintores renascentistas, tão celebrados pelas belezas que criam, não foram capazes de imaginar um único bebê bonito, registrando o menino santo com cara de baiacu inflado por seguidas vezes. A bem da verdade, o único bebê bonito ainda está para nascer e vai demorar bastante.

Então, não se aborreçam por isso. Feiura passa. Entre o ultrassom-4D-multicolor, onde a criança aparece com a cara de massinha de modelar, e o recém nascido, há uma evolução estética considerável. Beleza toma tempo. Gente demora a amadurar, virar gente mesmo. Enquanto isso, é aguentar aquela rostinho oscilando entre o azedo e o choro.

Gostou? Leia mais:

  1. Dividir para entender
  2. Um casamento real
  3. Que dia é hoje?
  4. Pequenas Grandes Angústias Cotidianas
  5. Ganhe R$ 100,00 para ler este texto!

Tags: , , , , , ,

Este artigo foi postado em 28 de novembro de 2013 às 8:31 am e está classificado em Crônicas. Você pode acompanhar os comentários ao post no feed RSS. Deixe um comentário ou trackback no seu website.

Clique em "Curtir" para deixar seu comentário no Facebook!

4 comentários até agora

 1 

Assino embaixo do documento, ops!, texto. Apesar de o nosso DNA estar preparado para achar bebês e velhinhos lindos, nem sempre eles o são, certo?! Achei o último parágrafo danado de bom.

28 de novembro de 2013 às 9:00 am
 2 

Cara… Porque tia Avó que mora em Cataguazes ??? Senti uma ponta de comparação…. Acho que isso é bulling.

28 de novembro de 2013 às 9:04 am
Crivê
 3 

Kkkkkkkkkk… Ri muito! A figura escolhida é ótima também! Volta a escrever sempre, tá?!

28 de novembro de 2013 às 11:36 pm
Mateus
 4 

Concordo em gênero, número e grau com o texto.

19 de fevereiro de 2014 às 10:10 pm

Deixe seu comentário!

Nome (*)
E-mail (não será publicado) (*)
Website
Comentário
Clique abaixo para enviar o comentário!