21
nov

Eu não!

   Postado por: Carlos Goettenauer na data de 21 de novembro de 2013, em Crônicas

facelessNão. Eu não sou isso que você está falando. Não sou mesmo. Sei que às vezes parece. É meu jeito. Mas não, eu não sou nem um pouco. Nem gosto dessas coisas. Sou até ao contrário disso. Ah! Aquilo que eu falei? Pareceu que eu sou, é? Sei. É a maneira que falo as coisas. É mau jeito. Às vezes sou direto demais, sabe? Sinceridade. Ninguém gosta de sinceridade. Mas sincero, isso eu sou. Pode anotar aí! Além do mais aquilo era brincadeira. Eu brinco muito, não me leve a sério. O problema hoje é que todo mundo leva tudo muito a sério. O pessoal precisa relaxar mais, descontrair. Hum… Aquilo que eu fiz? Não, interpretaram errado. Eu estava tentado só mostrar como é para quem é… você sabe, né?, nem vou falar. Era uma forma de dar um exemplo. O que eu queria era o contrário. Interpretam sempre tudo errado. É ao contrário, sabe? Eu faço com uma intenção, mas aí levam para o outro lado. O problema do mundo é esse, ninguém se importa com suas intenções, só com o que parece ser. Que quase sempre não é. E costuma ser ao contrário. Todo mundo julga tudo hoje em dia. Sem prestar atenção no que você realmente queria dizer. Sei que falam que eu sou. É por causa disso aí. Parece, às vezes, pelas coisas que falo. E também por esse meu jeito, mais… Sincero! Meu jeito mais sincero. Mas não, eu não sou nem um pouco. Nem gosto de gente assim, para falar a verdade. Sei que meus amigos são. Eles sim! Mas eu tento dar uns toques neles. É por isso que não corto a amizade. Acho que é importante que eu esteja ali do lado para mostrar para eles como eles estão errados. Mas aí já começam a falar. Diga-me com quem andas… Já sabe, né? Também não é para sair por aí condenando todo mundo. E quer saber? Esse pessoal aí que diz que eu sou. Eles é que são. Fingem que não, disfarçam, tentam colocar a culpa nos outros. Mas a verdade é que no fundo eles são. Não! Não estou condenando ninguém! Eles podem ser, claro. No fundo todo mundo é um pouco, não? Todo mundo dá uma escapada às vezes. Todo mundo é, nem que seja no fundo.

Menos eu. Eu não sou. De jeito nenhum!

Gostou? Leia mais:

  1. Misticismo consumista
  2. Aos livros que ainda não li…
  3. Elogio à tristeza
  4. Quase um toque
  5. Se arrependimento matasse…

Tags: , , , , ,

Este artigo foi postado em 21 de novembro de 2013 às 12:07 am e está classificado em Crônicas. Você pode acompanhar os comentários ao post no feed RSS. Deixe um comentário ou trackback no seu website.

Clique em "Curtir" para deixar seu comentário no Facebook!

5 comentários até agora

F.Goette
 1 

Muito booom

21 de novembro de 2013 às 12:11 am
 2 

Cara … Já Eu sou eu mesmo, sendo eu Eu só posso ser EU mesmo. Concluímos portanto que Eu sou Eu … Mas quem disse isso fui Eu assim acho que Eu só posso ser Eu. Ou não ?

26 de novembro de 2013 às 10:48 am
Solange
 3 

Quem é você? Além de seu nome não encontrei nenhuma informação. Sou capaz de apostar que é pós-graduado em alguma área das ciências humanas e que lê muito, sabe muito! Encantadores seus textos, que encontrei por acaso em pesquisas no google. Vou recomendar aos meus amigos.

9 de junho de 2014 às 8:44 pm
rafaela
 4 

onde s passa a historia

31 de março de 2015 às 12:23 pm
 5 

It’s going to be end of mine day, however before end I am
reading this enormous article to increase my knowledge.

23 de agosto de 2015 às 4:38 am

Deixe seu comentário!

Nome (*)
E-mail (não será publicado) (*)
Website
Comentário
Clique abaixo para enviar o comentário!